Vigilância Patrimonial e Pessoal

A Vigilância Patrimonial prestada pelo Grupo FT consiste em criar medidas preventivas para gerar uma resposta rápida, este é o pilar para a proteção do local vigiado. Este é um conceito que cria diferentes níveis de segurança através do Sistema Integrado, que une profissionais capacitados, normas e procedimentos personalizados ao cliente, Apoio Operacional e Sistemas Tecnológicos. Tudo para se adaptar e combater às práticas criminosas que são aperfeiçoadas dia a dia.

O Grupo FT também presta o serviço de segurança pessoal, onde o desafio é ainda maior, para isso contamos com profissionais altamente treinados e capacitados não só para atuar na prevenção de situações de risco, mas também para agir quando necessário priorizando a segurança e bem-estar de nossos clientes.

A segurança privada exige cada dia mais das empresas do segmento e entendemos que o nosso sucesso vem através do comprometimento, da seriedade e da experiência de uma empresa que está há 25 anos prestando serviços à comunidade como um todo.

Por que contratar a Vigilância Patrimonial e Pessoal?

Para se obter uma segurança mais assertiva, alguns pontos e ações estratégicas devem ser implementadas na sua empresa, residência ou comércio.

A Vigilância Humana e Pessoal aliada à diferentes equipamentos e estruturas, formam camadas de segurança. Nesse sentido a Vigilância Patrimonial e Pessoal é a primeira grande barreira a ser rompida pelo meliante.

A quem podemos atender?

Atendemos a patrimônios residenciais e empresariais, segurança pessoal, segurança para eventos e escolta armada.

Como é feito o serviço?

Com uma equipe de vigilantes treinados para identificar e lidar com todo tipo de abordagem, o Grupo FT faz o Levantamento Técnico de Segurança de acordo com as exigências da Portaria 387 da lei 7102, que define as normas e adequações da Vigilância patrimonial fiscalizado pela Polícia Federal.

Contamos com cronogramas operacionais, inspeção nos postos, profissionais altamente treinados em uma das mais conceituadas escolas de segurança do Sul do Brasil (ETESE – empresa do Grupo FT) e uma equipe de supervisores qualificados.

Dúvidas Frequentes

Na realidade todo vigilante que tenha curso de formação está apto a trabalhar armado, tudo vai depender da necessidade da empresa contratante.

A diferença está na descrição do cargo e nas tarefas que cada um dos profissionais deve executar. Quando falamos em vigilante, este pode fazer rondas, abordar pessoas, dar ordem de prisão, etc. Tarefas estas que tanto o porteiro como recepcionista não podem exercer.

Quem controla é a Polícia Federal, embasada na lei 7.102 de 20 de junho de 1983.

Todo vigilante que tenha curso de formação e carteirinha atualizada está habilitado para portar arma. O custo de uma arma é mínimo em relação ao valor total do contrato, trata-se somente do pagamento de guias para a Polícia Federal e manutenção. Porém, o portador da arma deve seguir as normas da PF em relação ao seu uso e a empresa de segurança é a responsável e responde por qualquer munição disparada.

Não, somente dentro de muros ou cercas.

Vigiar dependências e áreas públicas e privadas com a finalidade de prevenir, controlar e combater delitos, como porte ilícito de armas, munições e outras irregularidades;
Zelar pela segurança das pessoas, do patrimônio e pelo cumprimento das leis e regulamentos;
Recepcionar e controlar a movimentação de pessoas em áreas de acesso livre e restrito;
Fiscalizar pessoas, cargas e patrimônio;
Escoltar pessoas e mercadorias;
Controlar objetos e cargas;
Vigiar parques e reservas florestais, combatendo inclusive focos de incêndio;
Vigiar presos;
Monitorar imagens de sistemas de segurança.