DIA A DIA

Em caixas eletrônicos:

– Evite utilizar caixas eletrônicos à noite ou na madrugada, prefira horários de maior movimento. Caso seja realmente necessário, escolha um caixa localizado em shopping, supermercado, loja de conveniência ou outros estabelecimentos que possuam serviço de vigilância humana e eletrônica, mas mesmo assim, evite ir sozinho.

– Caso precise estacionar na rua e caminhar até o caixa eletrônico, não deixe outra pessoa sozinha no veículo.

– Fique atento e somente pare o carro depois de averiguar se não há ninguém suspeito por perto.

– Se alguém estiver tirando dinheiro quando você chegar, espere a pessoa sair e ir embora antes de desligar o carro.

– Caso o caixa retenha seu cartão, comunique ao banco imediatamente. Muitas retenções ocorrem porque foram instalados equipamentos para fraudar o sistema. Se identificar sinais de violação do caixa, não o utilize.

 

 

No banco:

– Procure não sacar valores significativos em agências bancárias.

– Não converse com pessoas estranhas, dentro ou fora do banco, e nunca aceite ajuda para utilizar os caixas eletrônicos. Caso haja essa necessidade, solicite o apoio de um funcionário do banco, devidamente identificado.

– Quem for efetuar um saque deve fazer-se acompanhar por uma pessoa conhecida, principalmente quando se tratar de pessoa idosa.

– Confira o dinheiro de forma discreta.

– Na saída do banco, certifique-se de que não há pessoas em atitude suspeita ou que estejam seguindo você.

– Mantenha sempre uma distância segura das demais pessoas por ocasião dos saques. Isso vale também na saída dos bancos.

– Quando efetuar depósitos de dinheiro ou cheque, evite que pessoas ao redor visualizem essa operação.

– Ao entrar no veículo, tenha o dinheiro ou passe à mão, para evitar abrir a bolsa ou a carteira.

– Evite usar jóias ou objetos de valor, como telefone celular, pendurados na roupa ou cintura.

– Fique atento para quem estiver ao eu redor e, se um suspeito entrar no veículo, salte antes da sua parada.

– Evite manipular dinheiro no interior do veículo. Por isso, nunca pague a passagem com notas altas.

– Evite carregar mochilas e bolsas nas costas. Carteiras e outros objetos de valor podem ser retirados sem que você perceba.

– Fique atento ao entrar e sair do ônibus, os momentos preferidos pelos batedores de carteiras.

– Evite aguardar pelo ônibus sozinho.

– Executivos devem ser mais flexíveis em seus hábitos. É desejável alterar o roteiro para o trabalho, não sendo muito previsível nos horários de entrada e saída.

– A esposa de um executivo, da mesma forma, torna-se um alvo fácil quando segue uma uniformidade de compromissos habituais e padrões de viagens.

– Evite ostentações. Padrões de comportamento que, desnecessariamente, chamam a atenção para a fortuna da pessoa, aumentam a vulnerabilidade.

– Aprenda a ser particularmente precavido quando a caminho de casa ou da empresa.

– Seja cauteloso ao fazer visitas a desconhecidos, receber pedidos telefônicos, ou mesmo atender a emergências familiares.

– Tenha certeza de que seus familiares estejam sempre bem informados do itinerário diário de cada um, bem como da hora provável de retorno para casa.

– Nomes e telefones de possíveis amigos, polícia e chefes de segurança patrimonial, deverão estar sempre disponíveis para contato imediato, quando necessário.

– RG: A lei não obriga que você ande com o original. Leve sempre uma fotocópia autenticada.

– CIC: Não leve na carteira sem necessidade.

– Título de Eleitor: Leve apenas no dia de eleição.

– Cartões de Crédito: Se tiver mais de um, leve apenas um e fora da carteira.

– Cartões de Banco: Leve apenas se necessário e agir como com o cartão de crédito.

– Documentos do veículo: Não levar a original, mas sim o autenticado pelo Detran (feito por qualquer despachante).

A tecnologia revoluciona o mundo e traz consigo inúmeros benefícios ao ser humano, de tal forma que ela não somente interfere sobre aspectos técnicos e econômicos, mas fundamentalmente nas relações sociais. No entanto, não podemos esquecer que assim como desfrutamos das vantagens desse progresso, também somos afetados negativamente por ele.

Quando resolvemos expor nossa privacidade nas redes sociais sem tomar os devidos cuidados preventivos, abrimos a oportunidade para que fatos indesejados ocorram.

Vamos citar algumas dicas preciosas para evitar possíveis problemas de segurança no uso das redes sociais:

– Conheça detalhadamente os mecanismos das redes sociais e suas políticas de privacidade.

– Tenha cuidado com a instalação de aplicativos. Eles poderão ser uma porta para a invasão de suas informações.

– Pense bem antes de divulgar fotos, mensagens e vídeos. O fato de apagá-los não evita que eles já tenham sido espalhados pela rede.

– Cuidado ao clicar em links. Eles podem ser falsos e levarem para páginas contaminadas com vírus.

– Não acredite em todas as mensagens que você recebe. Criminosos podem utilizar contas invadidas para enviar mensagens nocivas.

– Seja seletivo na aceitação de pessoas como amigo, lembre-se de que algumas delas podem ser criminosas.

– Evite utilizar redes sociais em ambientes cuja utilização seja compartilhada.

– Digite o endereço do site direto no navegador, evitando que suas informações pessoais possam ser furtadas pela utilização de site falso.

– Cuidado ao publicar seu e-mail pessoal. Isso poderá transformá-lo em alvo de spam e ameaças escritas.

– Não associe suas senhas a dados pessoais já informados.

“Ato inseguro e condição insegura, os grandes vilões da segurança”. Os trabalhadores ouvem esta frase constantemente em treinamentos de segurança e em palestras da SIPAT; apesar disso, permanece a questão quanto ao que deve ser feito para que as pessoas tomem cuidado no trabalho.

O acidente de trabalho deve-se principalmente a duas causas:

– Ato inseguro:

É o ato praticado pelo homem contra as normas de segurança, em geral consciente do que está fazendo – negligência. Exemplos: Subir em telhado sem cinto de segurança contra quedas, conectar tomadas de aparelhos elétricos com as mãos molhadas e dirigir em alta velocidade.

– Condição insegura:

É a condição do ambiente de trabalho que oferece perigo e/ou risco ao trabalhador. Exemplos: Instalação elétrica com fios desencapados, máquinas em estado precário e andaime de obras em construção feito com materiais inadequados.

A capacitação e as ações corretivas e preventivas realizadas pela CIPA objetivam eliminar situações de riscos e reduzir os índices de acidentes nos postos de trabalho. Para tanto, necessitamos essencialmente do envolvimento e do comprometimento de cada colaborador.

Emergência Grupo FT: (47) 3431-0200

Polícia: 190

– Bombeiros: 193

– Rádio Táxi: 197

– Envenenamento e intoxicações: 0800-643-5252 ou cit@hu.ufsc.br